Lançamento da frente política que pretende debater a nova agenda de lutas progressistas acontece em Belo Horizonte (MG), no sábado dia 5

No próximo sábado (5) será lançado a Frente Brasil Popular, movimento político que pretende pensar o futuro e apresentar um projeto alternativo e de caráter popular ao País.

Nos últimos meses, diversos movimentos populares, centrais sindicais, intelectuais e partidos políticos buscam construir uma frente ampla na sociedade que aglutine diversas forças sociais em torno de um projeto para o Brasil. Esta articulação desencadeou na Frente Brasil Popular.

Para lançar a Frente, as organizações realizarão a Conferência Nacional Popular: em defesa da democracia e por uma nova política econômica, a partir das 9h, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte (MG). 

A Conferência contará com a participação de movimentos populares, sindicais, pastorais, LGBT, de juventude, negros e negras, mulheres, além de partidos, veículos da mídia alternativa, intelectuais e religiosos, que debaterão a organização e o programa da Frente.

Estão entre as organizações que assinam a convocatória está o Movimento de Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Nacional dos Estudantes (UNE), Marcha Mundial das Mulheres (MMM), Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), Associação de Juízes pela Democracia, Pastorais Sociais, Central de Movimentos Populares (CMP), entre outros. 

A Frente Brasil Popular terá seis pontos programáticos: Defesa dos direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras; Defesa dos direitos sociais do povo brasileiro; Defesa da democracia; Defesa da soberania nacional; Lutar por reformas estruturais e populares; e Defesa dos processos de integração latino-americana.

Da Redação da Agência PT de Notícias 

Saiba mais 

 – PT convoca militância para defender a democracia no 7 de setembro

 – Manifesto de juristas a favor da legalidade e pelo respeito ao voto em nosso país 

 – Sindicatos divulgam manifesto e chamam ao diálogo pela democracia