Nesta quinta-feira (1º) o massacre de Paraisópolis completa três anos. E a Associação dos Familiares das Vítimas do Massacre de Paraisópolis realiza um ato seguido de missa na Catedral da Sé para exigir do Estado brasileiro que a verdade seja apurada e os responsáveis punidos.

Na madrugada daquele sábado de 2019, nove adolescentes e jovens de 14 a 23 anos foram mortos e pelo menos doze pessoas ficaram gravemente feridas durante Operação Pancadão da Polícia Militar no baile da Dz7, em Paraisópolis, periferia da Zona Sul de São Paulo. A ação provocou tumulto no evento, que contava com mais de 5 mil pessoas e tinha como saída apenas uma viela com escadaria. Logo que o caso veio a público, começaram a circular imagens da ação violenta dos policiais e das agressões praticadas por eles, com grande repercussão.

Depoimentos de testemunhas, familiares e vítimas feridas relatam garrafadas na cabeça, cassetete nas costas, gás de pimenta, além de uso de arma de fogo e balas de borracha. Há denúncias por parte de moradores de que os policiais militares impediram o socorro às vítimas.

Serviço

Os 9 que perdemos, manifestação na Sé

Quinta, 1º de dezembro,15h

Já se passaram 3 anos desde o massacre que aconteceu em Paraisópolis. Junte-se a essa luta! Memória, verdade e justiça pelos jovens que foram assassinados!

Programação

15h - Concentração na Praça da Sé

17h - Missa na Catedral da Sé com Pe. Júlio Lancellotti

Participações

Apresentação musical da Ana Laura (Emancipa)

Fala dos familiares e movimentos sociais

Presença do Mc Neguinho do Kaxeta (a confirmar)

Junte-se ao movimento!

#Os9quePerdemos

#3atos9vidas

#nãofoiresistência

#nãofoipisoteamento

#nãofoisocorro