A Fundação Perseu Abramo realizará no próximo sábado, dia 19 de fevereiro, das 10 às 12h, a conferência Independência e escravidão: a formação de um estado nacional escravista e suas permanências no Brasil contemporâneo, parte da jornada de atividades sobre o bicentenário da Independência do Brasil, que se completa no dia 07 de setembro de 2022.

A conferência contará com a participação de:

Jozileia Kaingang, Mulher indígena do Povo Kaingang, da Mata Atlântica do Rio Grande do Sul, Joziléia é co-fundadora da ANMIGA e da Articulação Brasileira de Indígenas Antropóloges. Mestra e doutoranda em Antropologia Social.  É membra do Conselho Estadual dos Povos Indígenas de Santa Catarina, editora na Revista FAG TAR - A Força Delas, feita por e para mulheres indígenas. Faz parte do Conselho Editorial do Projeto Vozes Indígenas na Produção do Conhecimento, da FIOCRUZ, e Conselheira editorial no Projeto Diálogos da Diáspora;

Matilde Ribeiro, Doutora em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Recebeu o título de Doutora Honoris Causa pela Fundação Universidade Federal do ABC (UFABC). Professora adjunta na UNILAB – Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira no Instituto de Humanidades/Curso de Pedagogia no Campus Liberdade/Redenção-CE, coordenadora do Grupo AMANDLA – estudo, pesquisa e extensão sobre políticas públicas de gênero, raça/etnia, desenvolvimento e territorialidade. Foi Ministra da SEPPIR – Secretaria Especial de Política de Promoção da Igualdade Racial no Governo Federal (2003 a 2008) e Secretária adjunta na Secretaria de Igualdade Racial de São Paulo (2003/14).

Wilson Mattos, Professor Titular de Teoria da História e Historiografia - Universidade do Estado da Bahia. Doutor em História Social PUC-SP. Coordenador do Programa de Pós-Graduação em História Regional e Local - UNEB. Pesquisador sobre os temas: Escravidão, História da África. Autor do livro: "Negros Contra a Ordem: astúcias, resistências e liberdades possíveis (Salvador-BA - 1850/1888)

A mediação será de Carol Dartora, primeira vereadora negra eleita em Curitiba pelo PT, feminista negra, historiadora, especializada em Ensino de Filosofia, mestra em Educação pela UFPR. É também Secretária da Mulher Trabalhadora e Direitos LGBTI da APP Sindicato PR, Militante da Marcha Mundial das Mulheres e do Movimento Negro.

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Clique aqui para assistir a abertura: 200 anos depois, a luta do Brasil pela soberania nacional, pela integração latino-americana e por uma nova ordem mundial, ocorrida em 05 de fevereiro com as presenças de Conceição Evaristo, Dilma Rousseff e Sônia Guajajara.

Independência e escravidão: a formação de um estado nacional escravista e suas permanências no Brasil contemporâneo.

A participação das mulheres nas lutas pela independência e construção da nação;

Lutas populares na história do Brasil: organizações de trabalhadores rurais e urbanos, movimentos sociais e resistência popular; luta da juventude; intelectuais da esquerda brasileira e latino-americana; anarquismos, socialismo, trabalhismo e comunismo no Brasil.

100 anos do Partido Comunista;

Desenvolvimento nacional e superação das desigualdades: Desenvolvimento econômico e desenvolvimento humano, científico e tecnológico; Economia Solidária; Transição ecológica, questões ambientais e sustentabilidade, suficiência energética, segurança alimentar; políticas sociais de saúde, educação e proteção social. Empresas Estatais e Serviços;

Abril vermelho: A formação do território nacional e os projetos em disputa, povos tradicionais, luta pela terra e ocupação do território;

A luta contra o racismo: independência do Brasil e manutenção da escravidão, elementos do escravismo na estruturação da sociedade brasileira atual, arquitetura da exclusão (discutir o 13 de maio, abolição, pós-abolição, lugar do liberto na sociedade brasileira); racismo estrutural e capitalismo no Brasil atual; genocídio da juventude negra; marco temporal e os direitos dos povos originários;

Democracia e Estado: Debate sobre a gênese e as caraterísticas do Estado brasileiro: patrimonialismo, clientelismo, coronelismo. Forças Armadas, militarização da polícia, genocídio da juventude negra, repressão aos trabalhadores e as organizações sociais. Constituinte;

100 anos do tenentismo: “Os tenentes de ontem e as Forças Armadas de hoje”;

SETEMBRO: Lançamento de manifesto em setembro, “Por uma nova independência” (título provisório).

 

CURADORIA:

Elen Coutinho
Economista, diretora da Fundação Perseu Abramo e membro do Diretório Nacional do PT

Esther Bermeguy
Economista. Foi secretária do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (2004-2011) e secretária de Planejamento e Investimentos Estratégicos (2012-2014). Integra o Conselho Curador da FPA

Everaldo Andrade
Professor do departamento de História e diretor do CAPH (centro de apoio a pesquisa histórica Sérgio Buarque de Holanda) da FFLCH USP. Membro da coordenação nacional do fórum Renova Andes e do setorial de Educação do PT-SP. Integra o Conselho Curador da FPA.

Iole Ilíada
Doutora em geografia humana pela USP, ex-vice-presidenta da FPA e ex-Secretária de Relações Internacionais do PT. Integra o Conselho Curador da FPA.

Penildon Silva Filho
Professor da Universidade Federal da Bahia e doutor em Educação. Integra o Conselho Curador da FPA

Valter Pomar
Professor de relações internacionais na UFABC, diretor da Fundação Perseu Abramo e integrante do Diretório Nacional do PT.

Vladimir Brito
Doutor em Ciência da Informação, membro do do NAPP segurança pública e do Conselho Curador da FPA.