No documento “Faces da desigualdade”, Tereza Campello enumera os efeitos benéficos do Programa Bolsa Família na saúde dos brasileiros.

A lista de efeitos apontados pela literatura específica segue abaixo:

1. Programas Bolsa Família e Saúde da Família juntos reduzem a mortalidade infantil causada por diarreia em 46%.

2. A associação dos dois programas também é responsável pela redução de 58% das mortes de crianças causadas por desnutrição.

3. Redução da prevalência de baixo peso ao nascer.

4. Redução em 51% do déficit de estatura das crianças até cinco anos, que indica “desnutrição crônica”, de acordo com a referência estabelecida pela Organização Mundial de Saúde.

5. Risco de desnutrição de crianças que estão no Bolsa Família há mais de quatro anos cai pela metade.

6. Taxa de identificação precoce de gestações de beneficiárias do Bolsa Família aumentou 57% após o início do pagamento do Benefício Variável para Gestante.

7. As crianças do Bolsa Família recebem o leite materno como único alimento até os seis meses de vida em proporção maior do que as famílias não beneficiárias.

8. Redução de taxas de internação hospitalar em crianças menores de cinco anos.

9. Relação entre a alta cobertura do Programa Bolsa Família e redução de 21% da taxa de detecção de hanseníase.

10. Taxa de cura de 7% maior nos casos de tuberculose entre os beneficiários do Bolsa Família se comparado aos não beneficiários.

A literatura científica comprova que o Programa é um sucesso e que tem mudado a vida da nova geração dos brasileiros, que cresce mais saudável.