O  resultado da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua para o trimestre de março a maio de 2017 foi divulgado na sexta-feira (30/06). Em resumo, a pesquisa mostra que a taxa de desocupação ficou em 13,3% no trimestre março-abril-maio 2017, permanecendo estável em relação ao trimestre dezembro-janeiro-fevereiro, como mostra a tabela abaixo. No mesmo trimestre do ano anterior, a taxa foi estimada em 11,2%.

Apesar do quadro de estabilidade em relação ao trimestre anterior, esta foi a maior taxa de desocupação para o trimestre terminado em maio desde o início da série da pesquisa.

Em relação ao trimestre anterior, os dados para população desocupada, população ocupada e nível de ocupação permanecem estáveis, mas com piora em relação ao mesmo trimestre no ano anterior.

E, ainda, o número de empregados com carteira de trabalho assinada (33,3 milhões) apresentou redução frente ao trimestre dezembro-janeiro-fevereiro (-1,4% ou menos 479 mil pessoas) e no confronto com o trimestre de março a maio de 2016 (-3,4% ou redução de 1,2 milhão de pessoas).

Já o rendimento médio real habitual (R$ 2.109) no trimestre encerrado em maio de 2017 permaneceu estável frente ao trimestre anterior (R$ 2.102) e em relação ao mesmo trimestre de 2016 (R$ 2.062). A massa de rendimento real habitual (R$ 184,4 bilhões) no trimestre encerrado em maio de 2017 também ficou estável nas duas comparações.