Foi realizada no dia 12 de agosto a primeira defesa de dissertação do curso de mestrado profissional “Estado, Governo e Políticas Públicas”, oferecido pela FPA em parceria com a Flacso Brasil

Foi realizada na última sexta-feira (12), a primeira defesa de dissertação do curso de mestrado profissional Estado, Governo e Políticas Públicas, oferecido pela Fundação Perseu Abramo (FPA), em parceria com a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso Brasil). A aluna Maria Antônia da Silva Arcanjo (Toninha) apresentou seu trabalho sobre organizações solidárias em Belém (PA), cujo título é “Economia solidária: um estudo de caso sobre o impacto da criação da Secretaria Nacional de Economia Solidária (Senaes)”.

A escolha do tema foi orientada pelo perfil do mestrado e a partir da trajetória da aluna, que já havia trabalhado em governos petistas do Distrito Federal e coordenado um programa de microcrédito paraense, o Cred Pará. Além disso, durante um curso de gestão e políticas públicas do qual participou na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), estudou a experiência do Banco do Povo de Bangladesh. “Como pedagoga, me senti estimulada por perceber seu caráter educativo para  desenvolver uma nova cultura de solidariedade, que soma forças com processos de base em favor das classes populares”, afirmou.

Toninha considera o curso excelente e inovador, pois tem o objetivo de formar profissionais comprometidos com a transformação da sociedade em favor das classes populares. “Ele nos orienta a olhar criticamente a realidade. Com isso, estimula o engajamento e consequentemente influencia a transformação social”, avalia.

Na conclusão de seu trabalho, a aluna defende a economia solidária como alternativa global à economia de mercado: “Se, no mundo atual, a utilização dos recursos da técnica e da ciência fortalecem o grande capital, só é possível enfrentar essa força das elites mundiais com a globalização das redes de ES, juntamente com outros segmentos sociais que lutam pela dignidade humana, utilizando da técnica e da ciência para se lutar pelas transformações estruturais na sociedade, em prol da emancipação das classes populares”.