Rio de Janeiro sediou seminário FPA que debateu a história e o futuro do Partido dos Trabalhadores

A Fundação Perseu Abramo realizou o seminário “36 anos de Partido dos Trabalhadores: trajetória e desafios”, no Rio de Janeiro, nos dias 26 e 27 de fevereiro. O público presente era diverso e representativo: de sexta a domingo, militantes de movimentos sociais, dirigentes, gestores, parlamentares e ministros estiveram no evento, que contou com transmissão ao vivo pela tevêFPA e pode ser acompanhada por todo o Brasil.

Debate sobre cidades, contou com participação de Haddad e Maricato

Rui Falcão, Benedita da Silva, Eduardo Suplicy, Lindberg farias, Miguel Rosseto, Érika Kokay e Hamilton Pereira, além de outras várias personalidades, partilharam experiências e opiniões sobre a trajetória e história do PT.

Marcio Pochmann, presidente da FPA, abriu o seminário apresentando o projeto Municípios, novo curso da Fundação que será ministrado em todas as regiões do país, dividido em cinco módulos, na modalidade presencial e com transmissão pela internet.

Pochmann apresenta o projeto Munícipios, no Rio de Janeiro

O conteúdo programático é voltado àqueles que terão papel dirigente durante o segundo semestre. O objetivo é capacitar ainda mais a militância.

Os presidentes nacional e estadual do PT, Rui Falcão e Washington Quaqua, respectivamente, fizeram parte da mesa também.

Em sua saudação, Rui Falcão deu exemplos dos embates em curso com relação às ações da prefeitura de São Paulo, para mostrar como serão as disputas, o confronto entre avanço e retrocesso. “As mesas que FPA organiza, para transmissão de conhecimento e troca de experiências entre nós, é também um estímulo para a militância”, anunciou.

Para Quaqua, “é preciso que cada militante volte a construir seu trabalho de base, que as prefeituras não sejam só para empregar militantes, mas para de fato fazer políticas de transformação social. O PT, o partido que fez a maior transofrmação social do mundo, e nós militantes não podemos ficar acuados e entrar no jogo da burguesia”.

Presidente nacional do PT, Rui Falcão, durante o seminário no RJ

O seminário teve a intenção de aprofundar debates. Para Pochmann, “o tema do conhecimento, da reflexão, são importantes para um partido que faz 36 anos. Estamos comemorando vinte anos de existência da FPA e coincide com o 20º ano de falecimento do grande jornalista Perseu Abramo. O Brasil mudou muito, o Brasil dos anos 1980, quando o PT foi construído não existe mais. E daqui a quarenta anos será muito mais diferente do que é hoje. O conhecimento é fundamental para mudar a realidade e mudando as pessoas, os homens e as mulheres, mudamos a realidade”.

“Começamos muito bem”, disse Pochmann sobre a abertura do seminário: “tivemos presença de personalidades importantes no PT, assim como da militância, além da expectativa que a FPA teria. Assim como os que nos acompanharam pela internet. Ademais, as duas exposições dos prefeitos e da professora Ermínia Maricato”.

Público do seminário foi diversificado e representativo

O seminário conseguiu reunir expositores como Carlos E. Estrada Meraz, subprefeito de Iztacalco/Cidade do México, Fernando Haddad e Ermínia Maricato na mesa que discutiu o futuro das cidades. A mesa sobre “Transformações do capitalismo global e perspectivas” teve a participação de Ladislau Dowbor, Eduardo Fagnani, Luis Fernandes e Benedita da Silva. A mesa “Transformações do capitalismo brasileiro e os desafios das esquerdas no Brasil” teve as presenças de Maria Rita Kell, Pedro Paulo Bastos e Bob Calazans.

Os vídeos de todas as mesas estão disponíveis aqui.

Veja a galeria de fotos do seminário e da festa de comemoração.