Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios mostram ligeira piora no mercado de trabalho de 2013 para 2014

Ano 3 – nº 243 – 18 de novembro de 2015

Pnad 2014: mercado de trabalho, rendimentos e desigualdades

Os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), lançada na semana passada, mostram ligeira piora no mercado de trabalho de 2013 para 2014 em termos de desocupação e posição na ocupação, mas continuidade da queda da desigualdade dos rendimentos do trabalho.

A análise das características da população com 15 anos ou mais que estava desocupada no ano de 2014 mostra que 56,7% eram mulheres e 60,3% eram negros, com preponderância de pessoas que não haviam completado o ensino médio, como mostra o gráfico abaixo.

Percentual das pessoas de 15 anos ou mais de idade, desocupadas na semana de referência, segundo algumas características selecionadas, Brasil (2013-2014) (em porcentagem)

De 2013 para 2014, o rendimento médio mensal real domiciliar per capita no Brasil cresceu 2,4% (de R$ 1.217 para R$ 1.246). Os domicílios pertencentes aos 10% com menor renda domiciliar per capita tiveram aumento real de 6,2% (de R$ 146 para R$ 155) e os domicílios pertencentes aos 10% com maior renda tiveram aumento menor, de 2,1% (de R$ 5.076 para R$ 5.183).

Já o rendimento médio mensal real de todos os trabalhos das pessoas de 15 anos ou mais ocupadas com rendimento em 2014 foi estimado em R$ 1.774, valor 0,8% superior ao de 2013 (R$ 1.760). Em termos regionais, houve aumentos no Sudeste, Sul e Norte, porém queda no Nordeste e Centro-Oeste.

Um ponto muito positivo é que o Índice de Gini da distribuição do rendimento mensal real de todos os trabalhos continuou a cair, passando de 0,495 em 2013 para 0,490 em 2014. Nesse mesmo período, o Índice de Gini dos rendimentos de todas as fontes passou de 0,501 para 0,497, e o do rendimento domiciliar passou de 0,497 para 0,494.

No entanto, quanto aos diferenciais de gênero, de acordo com a Pnad 2014, o rendimento médio mensal real de todos os trabalhos dos homens de 15 anos ou mais de idade com rendimento de trabalho foi de R$ 1.987,00 e o das mulheres, R$ 1.480,00: as mulheres receberam em média 74,5% do rendimento de trabalho dos homens em 2014, proporção que era de 73,5% em 2013. Apesar da melhora de 2013 para 2014, o hiato ainda é grande.

Para ler mais:

Pnad 2014
leia mais

 
* As opiniões aqui expressas são de inteira responsabilidade da sua autora, não representando a visão da FPA ou de seus dirigentes.